• OlhandoaCidade

    André-Charles Armeilla

    Semana passada marquei um almoço com uma amiga em Botafogo, cheguei um pouco cedo e, como sempre, fui sapear na Livraria da Travessa. Poucas coisas me agradam mais do que entrar em uma livraria, é bom demais. E a Travessa mais ainda, eles dão sempre um jeito de deixar a loja aconchegante, é muito acolhedor. Logo de cara achei um livro incrível – Armeilla, com 180 fotos em P&B do Rio de Janeiro, início do século passado. Fotos lindas, com excelente qualidade. Gamei e imediatamente estimei o livro como muito valioso. Sim, Armeilla foi um fotógrafo extremamente talentoso. Ando super mão de vaca e duro, uma coisa muito ligada na…

  • OlhandoaCidade

    Para os Feirenses!

    Quando escrevi sobre os Poveiros, meu amigo Arcanjo Magaldi me falou que tem mais um monte de casas de portugueses ali pela Tijuca! “Repare que esse pedaço da cidade é repleto de clubes regionais. Orfeão Portugal na Rua Aguiar, Casa das Beiras na Barão de Ubá, Vila da Feira e Terras de Santa Maria na Haddock Lobo, Casa do Porto na Afonso Pena, Casa dos Açores na Melo Matos. Vale a pena pesquisar o motivo. Abraços” Tentei pesquisar os motivos, sem muita força, e não achei nada. Talvez seja a disponibilidade de casas na região, talvez seja o tamanho da colônia lusitana por perto, tudo talvez, não consegui ainda uma…

  • OlhandoaCidade

    Campo de Santana

    Quando eu nasci, fui morar na Rua do Senado, ali no centro do Rio de Janeiro, bem pertinho da Praça Cruz Vermelha e do Campo de Santana. D. Araci me levava para brincar nestes dois lugares. Tenho fotos da Praça, mas não tenho fotos do Campo de Santana. Lembro-me vagamente de correr atrás das cutias, das imensas sombras. É um parque que mudou muito pouco, fisicamente, nestes últimos 50 anos. Já foi sertão da cidade, como o Rossio Grande (Praça Tiradentes). É uma localidade antiga e seu nome vem de 1753, quando foi ali construída uma igreja. Demolida em 1854 para a construção da primeira estação ferroviária urbana do Brasil,…

  • OlhandoaCidade

    Solar na Senador Vergueiro

    Em minhas andanças da hora do almoço, reparei outro dia neste casarão. Já estivera lá várias vezes, e nunca tinha olhado para cima. Pudera, já chegava babando e com fome! Tombado em 5 de outubro de 2000, por um dos ilustres frequentadores, o imóvel agora é imexível. Em meados dos anos 90 do século passado, estavam pensando em demolir para construir um hotel no lugar. O ilustre frequentador era o Prefeito e arquiteto Luiz Paulo Conde. O decreto 18.999 diz: “CONSIDERANDO que o prédio situado na Rua Senador Vergueiro 11 e 15 se constitui no único exemplar de solar da segunda metade de do século XIX no bairro do Flamengo…”…

  • OlhandoaCidade

    Casarão do Barão de São Clemente

    Muitos irão perguntar: “Que casarão é este?”. Pois é, tombado em 2014, o palacete que foi do cafeicultor Antônio Clemente Pinto Filho, o Barão de São Clemente, fica aqui pertinho do meu trabalho, na Rua Marquês de Abrantes 55. Um endereço tradicional, porque desde os anos de 1920 ele faz parte do Colégio Metodista Bennett. Foi construído em 1859. Aliás, com muita tristeza, o colégio fechou no último dia 17 de dezembro, vítima destes novos tempos, perdendo alunos, com alta inadiplência, não resistiu. Muitos não vem resistindo. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de…

EnglishFrançaisItalianoPortuguêsEspañol