OlhandoaCidade

Para os Feirenses!

Quando escrevi sobre os Poveiros, meu amigo Arcanjo Magaldi me falou que tem mais um monte de casas de portugueses ali pela Tijuca!

“Repare que esse pedaço da cidade é repleto de clubes regionais. Orfeão Portugal na Rua Aguiar, Casa das Beiras na Barão de Ubá, Vila da Feira e Terras de Santa Maria na Haddock Lobo, Casa do Porto na Afonso Pena, Casa dos Açores na Melo Matos. Vale a pena pesquisar o motivo. Abraços”

Tentei pesquisar os motivos, sem muita força, e não achei nada. Talvez seja a disponibilidade de casas na região, talvez seja o tamanho da colônia lusitana por perto, tudo talvez, não consegui ainda uma explicação para este fenômeno.

Vou visitar todas elas, e aqui vai a segunda, também no meu caminho para o escritório, a Casa da Vila da Feira e Terras de Santa Maria. Segundo a história, contada por eles mesmos em seu site, esta nasceu dentro da Casa dos Poveiros. Foi fundada em 1953, 23 anos após a irmã.

Além de próximas, são parecidas em tudo, na história, na casa antiga e não tão bem cuidada, nos cursos que oferecem, na piscina, na programação.

Acho bem legal esta militância lusitana, esta saudade da terra natal, e este esforço em manter e desenvolver a cultura, a arte, o relacionamento entre os portugueses de Santa Maria da Feira e seus descendentes aqui no Rio de Janeiro.

A casa é tombada:

Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH) – Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro (PMRJ)
Nome Atribuído: Casa da Vila da Feira e Terras de Santa Maria.
Localização: R. Haddock Lobo, n° 195 – Tijuca – Rio de Janeiro-RJ
Resolução de Tombamento: Decreto n° 27.653 de 06/03/07 – D.O. Rio de 07/03/07
Tombamento: provisório / Averbado: não

Com a pandemia o movimento está meio fraco. Vou esperar esta onda acabar e voltar lá na normalidade para ver a Casa “bombando” e ainda ouvir uns fados.

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo® - www.motozoo.com.br -, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

3 Comentários

  • Sônia

    Muito interessante estes clubes todos. Vejo no país aonde moro clubes de várias nacionalidades, mas parece que nós brasileiros não temos este hábito ainda, não encontrei nenhum club de brasileiros por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.