Categorias
OlhandoaCidade

Basílica de Nossa Senhora da Penha

Passei o réveillon deste ano lá em cima na Igreja da Penha, onde fiz estas fotos. Tinham anos que eu não ia lá em cima. Prá falar a verdade acho que só tinha ido uma única vez na vida, mesmo tendo morado por uns 10 anos em Olaria, que fica ali do ladinho da Penha. Minha irmã estudou ali nos pés da subida da Igreja, mas não me lembro nem de ter ido um dia ao Parque Shangai. Ele está lá até hoje e desde 1966. Não sei se a pandemia vai acabar com ele também. É que como eu morava “do lado de lá” da linha do trem, fica sempre mais difícil frequentar o “lado de cá”. Os bairros da Leopoldina e da Central, divididos pelo trem, tem destas coisas.

Então foi quase como se estivesse indo pela primeira vez. Fui a trabalho, ajudar minha amiga Aline Miranda em seu Projeta Rio e por isso parei o carro no estacionamento lá de cima, já economizando uns degraus. Mesmo assim, foi de cuspir o pulmão a subida que tive que encarar. Com o plano inclinado desligado, tive que subir na raça, como um pagador de promessas, os trocentos degraus até o topo. Dei várias paradas para recuperar o fôlego, tirei fotos, curti o momento.

Esta foto é linda, me orgulho dela

A história da Igreja é antiga, tendo iniciado com uma capela em 1635 erigida pelo Capitão Baltazar. A escadaria é de 1819, com 382 degraus. São degraus baixinhos, enganam…

No dia 16 de junho de 2016, o Papa Francisco, atendendo aos pedidos do Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, elevou o Santuário Arquidiocesano Mariano de Nossa Senhora da Penha à categoria de Basílica Menor.

Aquele ponto avermelhado no céu, é a lua. Ao fundo, o Tom Jobim.

Chegando vivo lá em cima no santuário, o sobrevivente é abençoado com uma vista linda, especialmente a noite, quando vê-se muitas luzes e pouca favela. É muito bonito e vê-se muito longe, toda a região da Leopoldina, a Ilha do Governador, um pedação da Baía da Guanabara.

A Igreja também é muito bonita. Sua última reforma grande é de 1902 e a arquitetura é no estilo eclético. Vale a pena o passeio e o acesso é fácil, tem trem e BRT praticamente na porta. Agora vou voltar lá para ir no Shangai com a Joana.

Por Mário Barreto

Historiador, Diretor de Filmes, 3D/VFX. Guru em Computação, viciado em Motociclismo.

Uma resposta em “Basílica de Nossa Senhora da Penha”

Eita! Bateu forte uma saudade do Colégio N.S. da Penha. Nas festas da Igreja, as freiras nos levavam lá em cima. Aos 14 anos eu tirava aquela escadaria de letra rsrsrs. É muito bonito, mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.