OlhandoaCidade

Escadaria Maria Ortiz

Então, estou em Vitória, capital do Espírito Santo. Já passei por aqui antes, 4 vezes, sempre de passagem para a Bahia. Passagens rapidíssimas, dormir, comer e pé na estrada, porque a Bahia é longe e o Espírito Santo comprido! Então eu não conhecia a cidade de verdade.

Meus amigos Thaís, Fernando e Gabriel estão morando aqui e vim desta vez para olhar melhor a cidade. Ora vejam, eu não sabia, mas na antiga ilha chamada de Guanaani pelos índios, foi fundada em 1551 a Vila Nova Nova do Espírito Santo, 14 anos antes do Rio de Janeiro!

Orientado pela Thaís, fui olhar o centro da cidade. Comecei andando, a cidade é muito ruim de táxi mas acabei indo de Über até a cidade alta. Não é grande, rapidinho você vê tudo. Curti muito a escadaria e a história de Maria Ortiz.

Lá no fundo tem o Porto de Vitória

Segundo está escrito lá na placa que conta a história do local, 8 naus holandesas, comandadas pelo almirante Piet Heyn desembarcaram e tentaram subir para a cidade alta, quando foram atacados pela jovem Maria, que despejou sobre eles água fervente, comandou uma reação dos moradores e assim expulsaram os invasores.

Em 1899 a ladeira ganhou o nome de Ladeira Maria Ortiz e 35 anos depois, fizeram a escadaria e o nome passou para Escadaria Maria Ortiz.

O problema histórico é que há controvérsias enormes sobre a existência real dela, que pode inclusive nunca ter existido. Ó, vejam mais sobre isso clicando aqui.

O lugar é interessante, mas tem um grande Q de decadente, como andam todos os centros de cidade. Eu saí da Catedral Metropolitana e desci por ela até o porto. Gostei de conhecê-la.

Vamos olhando nossas cidades!!!!

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo® - www.motozoo.com.br -, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Um comentário

  • Maria Inês Barreto da Costa

    Adorei essa escadaria e os mini-mirantes. Bom pra descansar durante a subida. E a história da Maria Ortiz é ótima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.