OlhandoaCidade

Casa dos Açores

Pois é meus amigos, como eu não me canso de escrever, logo após escrever sobre a primeira das casas portuguesas que eu olhei aqui na Tijuca, meu grande amigo Arcanjo disse-me: “Ih… tem um monte por aí”. E tem mesmo. Já escrevi aqui sobre os Poveiros, sobre os Feirenses, sobre o Orfeão Português e sobre a Casa do Porto.

Semana passada, andando e olhando por aqui, descobri mais uma! A casa da Casa dos Açores. Hoje fui lá fotografar para fazer o meu Olhando a Cidade e descobri que ela é do lado de mais uma!!! Vou guardar esta outra uma para outro post. E logo depois outra casa linda e que também merecerá um post. Enfim, atirei no que vi e acertei em mais dois!!!

A Casa dos Açores foi fundada em 1952, para reunir e os estimados 30 mil açorianos que já estavam por aqui em 1950, em laços de solidariedade e práticas culturais. Para a compra da sua primeira sede, na Rua Melo Matos 25, fizeram festas e churrascos e em 1954 já tinham sua casa. Outras épocas né? Porque para comprar uma casa grande na Tijuca hoje em dia haja churrasco e festa. Esta casa foi reformada, está novinha.

As ilhas do arquipélago de Açores ficam no oceano Atlântico, bem distante de Portugal, que as descobriu em 1427 por Diogo de Silves. Começaram a povoar em 1439, ou seja, muito antes do Brasil. Os Açorianos tem muita história para contar.

A rua é tranquila e a Casa “mortona” na hora em que fotografei. Pelos anúncios estampados em seus muros, tem alguma atividade esportiva, academias e aluguéis de equipamentos e instalações. A casa é bem novinha, bem cuidada e pelas fotos que vocês podem ver se clicarem no site deles, mais animada do que a Casa do Porto, por exemplo.

Então está aí, mais uma casa portuguesa na Tijuca… quantas mais irei achar olhando a cidade?

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo® - www.motozoo.com.br -, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.