Categorias
OlhandoaCidade

Vila Caruso

Hoje fui em um canto da cidade conhecer uma oficina especializada em Vespas. Indicado pelo Confrade Leo Greco, o dentista elegante, conheci o Adilson na Loja da Vespa. Um endereço pouco comum, quem conhece a Rua Alexandre Mackenzie? Pois é, ali na Gamboa, nas franjas do Valongo e do Morro da Providência. Quanta coisa para olhar…

Voltando para o escritório, meus olhos curiosos passaram pela Vila Caruso. Imediatamente pensei, que maneiro! Parei o carro e “bati” esta foto:

Bati uma única foto, procurando um angulo mais bonito. Não tem muitos, a rua é bem decadente, comercial, com pessoas e carros abandonados de ambos os lados. Centenária, 112 anos.

Lá dentro, nada demais, mais uma vila. O portão não combina. Pichado, de bonito acho eu, é o enfeite superior com as colunas.

Dia lindo, Céu Azul.

Pesquisando vi que ela é tombada. Em uma pesquisa simples e rápida achei um documento da Anpur – http://anpur.org.br/xviiienanpur/anaisadmin/capapdf.php?reqid=433 – onde vem escrito o seguinte:

“Avenida Caruso da Rua Barão de São Felix n° 97 – Situada na Rua Barão de São Félix, “a Pequena Portugal” do início do século XX, era uma vila de operários portugueses e hoje é um bem tombado pela proteção municipal. Apresenta excelente estado de conservação, com variadas fachadas, detalhes em cantarias, frisos, platibandas e esquadrias originais. O portão que dá acesso à vila possui a inscrição: Avenida Caruso – 1908. O imóvel está preservado pelo SAGAS decreto 7351/88.”

E uma foto melhor, conseguida sabe-se lá como, porque hoje só tinham carros e sujeira. E hoje aqui:

Confiram no link do tombamento, o que mais foi tombado neste dia:

http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/4722991/4121089/024DECRETO6057BensSAGAS.pdf

Combinei coisas com o mecânico, voltarei lá, tenho certeza de que vou achar mais coisas legais.

Mário Barreto.

Por Mário Barreto

Historiador, Diretor de Filmes, 3D/VFX. Guru em Computação, viciado em Motociclismo.

4 respostas em “Vila Caruso”

Adoro essa visão da cidade. Também compartilho dessa maneira de ver nossa cidade. Esperando por mais surpresas!

Parabéns Mário! Adoro essas curiosidades histórico-arquitetonica-socias da nossa linda e sofrida cidade.

E quem foi o primeiro e único Barão de São Félix? Na Wikipedia:

Antônio Félix Martins, primeiro e único barão de São Félix (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1812 — Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 1892) foi um médico, professor e político brasileiro.

Filho de José Martins e Rita Angélica de Jesus, casou-se com Ana Carolina Pinto.

Formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, foi ali professor de patologia, além de cirurgião da Guarda Nacional, inspetor do Hospital Marítimo de Santa Isabel, presidente da Junta Central de Higiene Pública, da Caixa Municipal de Socorros Públicos e do Montepio Geral dos servidores do Estado. Foi membro e presidente da Academia Imperial de Medicina.

Como político, foi vereador e presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Era maçom na Loja Grande Oriente Unido do Brasil e também sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Agraciado barão, era comendador da Imperial Ordem da Rosa e cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.