OlhandoaCidade

São Maron

Esta é boa… eu mesmo, que passo por ali TODA vez que saio de casa, ou melhor, quase toda vez, nunca tinha olhado…

Existe uma pracinha ali quase em frente a Igreja de São Francisco Xavier, em frente ao Rio Trapicheiros, na Rua Heitor Beltrão. E nela, temos uma linda estátua, que, como tem se tornado comum na cidade, está sem placa… Quem seria o santo, o religioso representado pela estátua.

Tive que pesquisar… e achei. É a estátua de São Maron.

Diz a Wikipedia: “São Maron, foi um monge sírico-cristão do século V, o qual ficou mais conhecido após a sua morte por um movimento cristão que viria a ser conhecido como Maronitas. Por esta razão, é considerado o fundador de uma Igreja católica oriental sui-iuris, a Igreja Maronita. Maron, um amigo de São João Crisóstomo, foi também conhecido por seus trabalhos como missionário e suas técnicas de devoção a Deus.”

Em minha ignorância, eu não sabia que a igreja maronita tinha a origem no nome de um santo chamado Maron…

A Wikipedia também diz “A Igreja Siríaca Maronita de Antioquia é uma Igreja particular sui guris católica, de rito siríaco ocidental, em plena comunhão com a Igreja Católica, cujo Patriarca é Mar Béchara Boutros Raï. Sua origem remonta à comunidade fundada por Maron, um monge siríaco-arameu do século IV venerado como santo. O primeiro patriarca maronita, São João Marun, foi eleito no final do século VII.

Embora com número relativamente reduzido hoje em dia, os Maronitas ainda são um dos principais grupos etnorreligiosos no Líbano.”

Segundo a linda placa que foi roubada, nosso simpático prefeito arquiteto Luiz Paulo Conde teve a honra de receber o ilustre Patriarca Libanês. E a Tijuca ainda tem outra praça e outra estátua e santo libanês, a Praça São Charbel. Outro dia falaremos dela, vou lá olhar primeiro.

Quando passarem por ali, dêem uma olhada a esquerda e peçam sua benção ao ilustre e importante São Maron!

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo® - www.motozoo.com.br -, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.