Categorias
OlhandoaCidade

Cisne Negro da Lagoa!

E ontem estive de noite na Lagoa Rodrigo de Freitas. Tarde da noite mas nem parecia, bem iluminado, sensação de segurança, bonito como sempre.

Vi coruja, vi capivara.

Só fiquei assustado com este Cisne Negro aí todo craquelado. Este negócio de brinquedos, parques assustadores, tem já uma tradição no cinema. Dá um negócio esquisito né?

Cisnes negros eram desconhecidos na Europa até 1697. Aí descobriram a Austrália e lá tinham cisnes pretos, Cygnus atratus. Daí depois, séculos depois, fizeram um filme premiado com este nome e é também nome de uma teoria econômica, em um livro muito elogiado, A Lógica do Cisne Negro.

Estranho né?

Hoje a Europa tem um monte deles, introduzidos artificialmente, e temos um também boiando na Lagoa Rodrigo de Freitas. Não gostamos de ficar atrás da Europa.

Nunca curti muito estes pedalinhos, sempre sobrou prá mim pedalar estes barcos ruins de navegação. Um vez destruí um tênis zerado em um parafuso mal instalado no pedal. Fiquei com raiva.

Mas com eles fui até a estrela de Tomie Ohtake, coisa que a moleca nem sabe o que é.

Estrela de Tomie Ohtake

Tadinhos, também não sabem o que foi o Tivoli. Lá tinha a Konga, a Mulher Gorila, que assustava mais do que o Cisne Negro da madruga.

Konga!

Antes que perguntem se eu estava purinho, digo apenas que antes bebi um vinho. Dá medo de cisnes craquelados. Corajoso é quem navega neste pedalinho.

Mário Barreto

Por Mário Barreto

Historiador, Diretor de Filmes, 3D/VFX. Guru em Computação, viciado em Motociclismo.

4 respostas em “Cisne Negro da Lagoa!”

Prefiro remar em vez de pedalar, prefiro biguá à cisnes negros e adoro passear nas suas histórias,Mario.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.