OlhandoaCidade

Angu do Gomes

E hoje o meu sócio Nakamura, do nada, me mandou uma mensagem no WhatsApp convidando para almoçar no tradicionalíssimo Angu do Gomes, ali no Largo da Prainha. E sabem que eu nunca tinha comido lá? Eu fui um adolescente bem fresco com comida e tinha “nojinho” do angu que era servido nas barraquinhas do Angú do Gomes que tinham espalhadas pela cidade. Nos anos 70, chegaram a ter 80 barraquinhas espalhadas pela cidade e eu não comeria lá nem a pau.

Eu e o Naka

Depois, quando eu estudava na Escola Técnica Federal, hoje CEFET, tive como companheiro de classe e amigo o Ricardo Magnani, que segundo constava em minhas lembranças, era filho de um dos sócios. O pai dele também explorava a cantina da escola, onde dávamos golpes mil para comer de graça.

Eu e o Ricardo Magnani. Foto do Jânio, em 1978

Já sentado esperando o japonês, sempre atrasado, falei com o Jânio, outro companheiro de classe e ele me confirmou, o Magnani era realmente filho do sócio que não era o Gomes, e que uma pequena e rápida pesquisa indicou como sendo o Sr. Basílio. Leiam clicando aqui uma reportagem sobre o assunto.

Enquanto esperava pedi um pastel e um chopp, que vieram perfeitos – cuidado com a pimenta, é forte.

Pastelzinho perfeito

Já com o Naka na mesa, incomodamos uma funcionária da casa, perguntando sobre o “filho do Sr. Basílio”, se era o Magnani mesmo e etc e tal. Ela, que estava usando um rádio, falou com o tio dele, que confirmou tudo e ainda me deu o telefone do meu amigo. Vou ligar prá ele. Já liguei e não consegui falar, perdi o desconto na conta!!

Dia lindo, céu muito azul e o centro do Rio está maravilhoso. Histórico, com pouco movimento, colorido, razoávelmente conservado, uma beleza. Alguns anos atrás eu estive zanzando por ali com minha turma do curso de história da Unirio. Subimos e descemos o morro, conhecemos todos os pontos históricos da região, foi um dia bem legal.

Estátuda de Mercedes Baptista, no Largo de São Francisco da Prainha

Voltando ao restaurante, hoje não tenho nojinho de quase nada e pedimos o angú do Gomes. O cardápio é saboroso mas ir lá pela primeira vez e não pedir o angú é sacrilégio. Não é caro e tem em dois tamanhos. Pedimos o pequeno, “para provar”. Uma delícia, não recomendo. Peçam logo o grande, vale a pena.

Com minha turma de então futuros historiadores, mapeando a área

Após o almoço, demos uma voltinha, subimos uma ladeirinha, passamos por detrás da igreja e descemos por outra ladeirinha. Vejam no álbum de fotos abaixo, tudo muito legal.

Obrigado Nakamura pelo convite, foi um almoço bem divertido, cultural e bacana. Recomendo!

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo® - www.motozoo.com.br -, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.